sábado, 30 de maio de 2009

Morro, porque não morro....

Os grandes santos da Igreja tem um grande amor pela irmã morte. Nâo que sejam suicidas insanos e recalcados, mas sabem o que os espera na Vida Eterna.
A morte se faz então, amiga, aquela que o leva de encontro ao Pai, ao Amado, à Plenitude.
A contemplação Dele, a vida tão próxima do Senhor que nada mais se quer, nada mais se deseja, nada mais se precisa. Só Deus basta.
Dele vivemos, Nele vivemos.
O que é difícil é estar aqui, no exílio e sofrer a ausência dos que já foram...
E quão difícil é aceitar que o céu está em festa enquanto aquele que amamos vai e que aqui ficamos nós, sós.
"Morto amado nunca deixa de morrer" já diz o poeta, e vivemos isso na Santa Igreja pois o sacrifício de Cristo ainda permanece, em cada Missa, a única Missa, o Sacifício Eterno do Senhor por nós! Pela nossa Salvação... Mas se participamos de sua paixão e morte, também vivemos o prazer e glória do sepulcro vazio. A Alegria da ressurreição.


Camila, Cinthia, Que a certeza da ressureição e da comunhão dos Santos console seus corações!

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Um dia feliz

Poucas cosias na vida em deixam mais feliz que a total inércia.
Em certos períodos da vida, quando eu preciso de uma reflexão, de uma resposta, ou de calma, o re´médio mais eficaz pra isso é o silêncio, e a TV ligada.
É uma coisa meio entorpecedora, meio zumbi. Passo horas ali, pensando na vida alheia, ou não pensando em nada, me entretendo com outros amores, outras amisades, outros trabalhos, outras dores que não as minhas e isso me meva a uma experiência quase catartica.
É como se pelo exercício de não pensar em mim, de não pensar em nada real, a minha realidade se assentuasse.
De repente, em um insight, me descubro querendo coisas que não queria, tomando decisões, ou simplesmente voltando o olhar pra vida de uma forma mais clara mais serena.
E aí,aí eu amo todo mundo. Eu perdoô quem me magoou, quase morro de saudades do meu namorado, me alegro pela minha família e a vida real volta a ser interessante!
Ontem em especial, quinta feira maravilhosa! Pe. Rodrigo no "Em frente" e pe. Fábio ao vivo. Na meia hora em que os dois programas coincidiram eu quase morri!
Que delicia gente, ouvir esses homens em levam pra Deus! Ontem o pe. Fábio falou até de Sta Teresinha, ele não é muito de falar de santos... E o programa do padre pedro foi muito emocionante!
Enfim, foi um dia feliz.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Escolhas

É difícil fazer escolhas.
Na maior parte das vezes o que fica é a sensação de perda de termos abandonado um caminho e não a alegria de ter optado pelo outro.
Escolher é abrir mão. É se despedir. É correr risco.
Mas para a dor cessar é a continuidade do caminho, o passo a passo pelo lugar escolhido é que nos consola.
Mas importante do que o destino escolhido é o caminho traçado, a forma de percorre-lo e aí... Mais e mais escolhas surgiram.
O interessante é que com a conclusão do caminho, ainda que não tenhamos feito a escolha certa, temos o prazer da glória, da conquista do reconhecimento, de ter chegado lá.
Mas não é fácil fazer escolhas e não é fácil acontumar com as dores e com as esquinas e bifurcações que o caminho faz...
video

terça-feira, 26 de maio de 2009

PROGRAMA EM FRENTE - PE. RODRIGO, PE. PEDRO E IRMÃ MARIA DE LOURDES - NA TV APARECIDA

Repasso o aviso que está postado no blog Magnificat - o canto de Nossa Senhora
http://infomagnificat.blogspot.com/2009/05/programa-em-frente-pe-rodrigo-pe-pedro_25.html


NÃO PERCAM!!

QUINTA-FEIRA - 28 DE MAIO - 21H00

PADRE RODRIGO E IRMÃ MARIA DE LOURDES ESTARÃO COM PADRE PEDRO, APRESENTANDO O PROGRAMA "EM FRENTE", NO LUGAR DE RODOLFO E DENISE QUE TIVERAM UM COMPROMISSO E NÃO PUDERAM COMPARECER PARA A GRAVAÇÃO



Assistam gente, eu fiz um retiro com esse padre e o progrma é ótimo!

Só quem já perdeu na vida sabe o que é ganhar!

quinta-feira, 21 de maio de 2009

MInha amiga perdeu o pai

Minha amiga perdeu o pai.

Já se passaram dez dias e eu ainda não tive coragem de vê-la.
Apenas uma cerca divide os limites da dor dela e da minha. E eu não consegui cruzar...
Nunca vou entender porque a gente perde pai e mãe. Porque é uma perda que não se supera, porque os amores são reconquistados ou outros virão, amigos são feitos e desfeitos, e até filhos... Mas pai e mãe não tem jeito. São únicos. É dor que não passa, dor que esmaga. Dor qeu sufoca.
Eu tenho pavor de pensar nisso e se eu cruzar aquela cerca vou ter que fazê-lo. Se eu cruzar a cerca vou sair do pesadelo e a realidade ainda vai ser pior. porque minha amiga perdeu o pai.
Ao cruzar a cerca e abraçar a minha amiga, vou ser obrigada a pensar que poderia ser eu. Que meu pai poderia ter me deixado e essa dor, essa dor eu não consigo sentir.
Por qeu me falta o ar, porque dói a cabeça, os ombros e aperta o peito. Porque me dá vertigem e eu não saberia nada fazer.
Eu estou morrendo de medo, mas minha amiga não... Minha amiga perdeu o pai.
Ela vai entrar em casa ae saber que ele não estará lá, que a grama não será cortada e que o peixe não vai ser cozido. E nisso eu não posso pensar.
Eu só posso dizer pra você, minha amiga, que já dói em mim... A dor que dói em você.

terça-feira, 12 de maio de 2009

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Bater ou assoprar???

A maioria das pessoas bate depois assopra.
É impressionante a dificuldade que temos em saber a medida exata. O ponto certo. O equilibrio.

É um desafio constante, principalemente para quem ama, e que vê o irmão no erro.
ME lembro que na Palavra, o conselho é pra que corrijamos com a vara antes que outro venha e corrija... Mas como é difícil.

Eu sofro enormemente em ter que abrir meus olhos e confrontar com os erros, as faltas daqueles que amo, e sofro ainda mais por não saber como exortá-los.

Fico no constante limiar entre a furia e a compaixão, a raiva e a piedade, a decepção e o amor...

Ser traido, ser caluniado, ser enganado são dores que nos ferem demais e não sabemos aonde dói.

E ficamos assim, meio perdidos... Sem saber o limite da tolerância e sem saber se devemos bater ou assoprar...

terça-feira, 5 de maio de 2009

Eu quero sorvete de vodca!

segunda-feira, 4 de maio de 2009

O Bom pastor

O Bom pastor é aquele que dá a vida pelas suas ovelhas.
Ontem fui ao Santo Sacrificio em minha paróquia, onde meu pai espiritual é pároco.
Fazia um bom tempo qeu não participava da Santa MIssa com ele celebrando e é impressionante como a gente reconehce a voz do pastor.
As palavras do Pe Bueno continuam demorando no meu coração...
É como se o que ele falasse fosse dito só pra mim. Como se o meu coração e o coração dele estivessem em uma única sintonia.
E por que a gente se afasta???
E por que eu me afastei?
Será que eu não queria ouvir? Será que eu fugia de mim? ou dele?